5 coisas que um desenvolvedor PHP deve fazer e não faz Artigo

Conheça os cursos gratuitos do WebDevBr! - Inscreva-se!


Este artigo foi publicado a 2 anos, 5 meses, 3 semanas, 4 dias atrás.

Existem muitas práticas que melhoram significativamente o desempenho do desenvolvedor e da aplicação, e são, em sua maioria, passos simples e rápidos, mas que vão mudar a sua maneira de ver as coisas. Alguns vão te dar novos caminhos pra resolver seus problemas rapidamente, outros serão configurações no php.ini, enfim, vamos as dicas.

1. Ativar o OPcache

Muito se ouviu falar sobre a melhora de desempenho no PHP 5.5, muito disso se deve ao  cache embutido, em vez de analizar seu código ele apenas pega o resultado gerado anteriormente e parte daí, se você somar isso a um cache do baco de dados, nossa, sua aplicação vai voar.

Mas como ativo isso? É simples e é feito no php.ini, você não meche na sua aplicação. Siga este passo a passo.

Gostou deste artigo?

Receba atualizações semanais com novos artigos do WebDevBr e outras dicas!

2. Melhorar a exibição de erros

Essa dica é bacana, muitos devs se perdem simplesmente por não compreender as mensagens de erro, que tal trocar aquele texto preto por um box laranja e com mais informações? Instale o Xdebug, eu mesmo não consigo mais ficar sem...

Aqui tem um artigo para saber como instalar o Xdebug, não deve demorar mais que poucos minutos.

3. Evite trabalhar atoa com componentes

Precisa de um upload, log em texto, log no banco de dados, sistema de login, gerenciar requests e responses, antes de começar a trabalhar veja se alguém não fez isso pra você antes. Existem ótimos componentes por ai, bem testados, bem contruídos e simples de usar, basta dar uma rápida olhada nestes dois links aqui:

Agora se você quer ler mais sobre componentes, que tal dar uma olhada neste artigo que escreví.

4. Acompanhe o desempenho das suas aplicações

Essa é boa! Como você sabe que uma aplicação esta consumindo muito recurso ou não? Coloca no ar e espera que não trave o servidor? Que tal saber quanto tempo e quais recursos (memória e cpu) sua aplicação consome em uma requisição, melhor ainda, com relatórios por processo (métodos, classes...). Com o Xdebug, o profiling de uma aplicação fica muito mais simples.

Aqui tem um artigo sobre o assunto são poucas configurações a se fazer.

5. Use mais de um framework ou micro framework

É um grande erro achar que você só precisa do seu framework preferido, vejo muita gente defender de unhas e dentes o seu framework (eu mesmo já fiz isso com o CakePHP), mas conhecer as vantagens e limitações do seu framework favorito é importante, conhecendo a fundo vários frameworks você ganha a liberdade de poder escolher o que é melhor para o caso em questão, tem muita gente que nem entende isso de "escolher o framework certo".

O Zend Framework 2 é o meu favorito atualmente (se pudesse usava pra tudo), mas em alguns momentos um framework rápido pode ser melhor, nestes casos escolho entre o Laravel ou o CakePHP, ambos são muito bons no que se prestam a fazer. Também estou numa vibe mais micro, ando testando muito os "menorzinhos". Não citei o Symfony, é incrível como vários "Zords" conseguem formar um poderoso "Megazord", simplesmente amo o symfony/console. Forme sua opnião, pegue um projeto (mesmo que para estudo) e vá desenvolver em cada um deles, no final sua visão vai mudar, tenho certeza!

Frameworks full-stack

Micro frameworks

Conclusão

Estas foram algumas dicas que preparei para vocês, ainda tem muito mais, fique esperto, sempre tem coisa nova por aqui.


Cursos relacionados


* Parcelamento apenas cartão de crédito! Pode haver uma pequena variação no parcelamento em relação a simulações apresentadas!